Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

26112479_330324757483020_2240512788304132218_n
No comando: Forró do Lobão (reprise)

Das 00:00 as 03:00

16403236_120333698482128_5303267032338159333_o
No comando: Madrugada Atividade

Das 03:00 as 05:00

eu-voce-e-a-jovem-guarda
No comando: Eu, Você e a Jovem Guarda.

Das 05:00 as 06:00

roberto-carlos-e-companhia1
No comando: Roberto Carlos e Companhia

Das 06:00 as 07:00

nordeste
No comando: Nordeste com Cristo

Das 07:00 as 09:00

img-20170712-wa0017
No comando: Conexão Gospel

Das 08:00 as 10:00

amado-batista
No comando: Amado Batista

Das 09:00 as 10:00

forro_brasilis3
No comando: Forro Brasilis

Das 10:00 as 11:00

ligacao-nacional
No comando: Ligação Nacional

Das 12:00 as 13:00

radioescuta
No comando: Radio Escuta

Das 13:00 as 14:00

forro
No comando: Forró na Ariapó

Das 14:00 as 16:00

img-20170712-wa0017
No comando: Conexão Gospel

Das 16:00 as 18:00

26112479_330324757483020_2240512788304132218_n
No comando: Forró do Lobão

Das 17:00 as 19:00

09-apresentador-do-top-10-central-hits
No comando: Sintonia de Sucessos

Das 19:00 as 20:00

web-rio-funk-mix
No comando: Rio Funk Mix

Das 20:00 as 22:00

lovvvv
No comando: Love Time

Das 22:00 as 00:00

Youtubers dão dicas para problemas de rotina e são seguidos por milhares na Web

Compartilhe:
youtubers-1

‘Estrelas’ informais têm prazer em repassar o que aprendem no dia a dia

Rio – Que o YouTube é uma das mais populares plataformas não restam dúvidas. O usuário recebe, de graça, dicas de quem vivencia as situações. A prática tem transformado a vida de quem repassa suas experiências, apesar de não ter se formado no assunto. É o caso da jornalista Mari Ribeiro, 27 anos, que criou o canal ‘De Mudança’, e se tornou uma espécie de conselheira especialmente para jovens que querem se livrar da fama de ‘geração canguru’. Com 23 mil seguidores, ela fala para quem está montando um novo lar. “Não existiam canais específicos para esse tema. Resolvi explicar como funciona o cotidiano de quem mora só. Dou dicas de como entender contrato de aluguel, enfrentar a solidão e até a organizar a geladeira”.

youtubers-1

Mari dá sugestões de como manter seu ambiente limpo por mais tempo, dispensando a contratação constante de faxineiros, por exemplo, além de outros detalhes que facilitam a rotina.

A Engenheira Civil Mirna Borges, de 30 anos, abandonou a empresa onde trabalhava para dar dicas de economia. Transformou sua casa, em Vitória (ES), em auditório onde grava vídeos semanais que oferecem sugestões de soluções para problemas relacionados ao bolso.

youtubers-2

O canal EconoMirna foi criado em abril de 2016, quando percebeu que a maioria dos seus amigos tinham dificuldade em lidar com dinheiro e investimentos. “Escolho os temas relacionados a cartões de crédito, corte de anuidade, planejamento de sonhos, tesouro direto entre outros” explica. Com 178 mil seguidores, a youtuber conta qual é a fórmula usada para atrair o público. “Demonstro vantagens e desvantagens sobre cartões de crédito. Isso é suficiente para atraí-los”. Ela ainda acrescenta que recebe diariamente agradecimentos de seguidores. “Muitos conseguiram controlar o consumismo. Outros, criaram renda extra”.

Para o fundador do curso Greeky e consultor de Marketing Digital Victor Lymberopoulos, as duas provam que o YouTube não é apenas uma plataforma de vídeos, mas, de mudanças sociais. “Milhares de pessoas postam vídeos diariamente sobre o que fazem de melhor, criando comunidades sobre diversos assuntos. Você sempre pode encontrar alguém que te ensine algo ou te faça rir”, avalia.youtubers-3

Professor cria canal e diz que investe em qualidade

Em busca de ampliar o conteúdo dado em sala de aula, o professor de Comunicação do Ibemec Marcio Gonçalves, criou um canal no qual explora seu projeto ‘Aula Sem Paredes’, onde dá dicas de livros e utiliza a linguagem audiovisual para abordar temas de suas disciplinas.

“O YouTube permite a derrubada das paredes e coloca o conteúdo à disposição dos meus alunos, dentro do tempo deles, deixando de ser restrito ao tempo da instituição de ensino”, explica o professor. Ele também conta que a maioria dos canais oferece conteúdos voltados para o humor e que, a partir disso, percebeu que era o momento de levar o conhecimento acadêmico. “Meu canal não vence pelo número de seguidores. Mas, pela qualidade. É um conteúdo específico para um público exclusivo”, ensina.

A especialista em Mídias Sociais e Marketing Digital Patrícia Andrade Ladeira, alerta para cuidados que o público deve tomar na internet. “É tão democrática, que dá voz a todos. Além de permitir que alguns ‘curiosos’ levem o título de youtubers. “É preciso ser crítico na hora de receber as dicas infalíveis. É importante saber quem é o indivíduo que compartilha as informações. Que experiência ele possui para dizer como devo agir”, ressalta.

Deixe seu comentário: